Blog pessoal de José Castanheira, membro do Partido Comunista Português, eleito na Assembleia Municipal de Olhão pela CDU, e candidato por esta coligação, à Presidência da Câmara Municipal de Olhão
publicado por Vai a Olhão, vai... | Sexta-feira, 23 Janeiro , 2009, 08:05

Não creio que o Povo de Olhão esteja "condenados a suportar", eternamente, muitas das pessoas que se encontram â frente dos destinos do nosso Concelho.

Nem julgo que tenhamos que "gramar" para sempre, este estilo autoritário e arrogante, do "quero, posso e mando" do Eng Leal  e do Partido Socialista.

As coisas, as pessoas e os projectos, têm o seu tempo.

Nascem, desenvolvem-se e esgotam-se ou desaparecem.

Tudo e todos. 

É uma das leis da vida, que não está escrita em lado nenhum, mas que todos sabemos ser assim, e todos "cumprimos"

É nesse contexto, que faço as afirmações acima.

E não só não creio, como tenho a convicção de que o Eng Leal se esgotou, e se esgotaram igualmente, muitas das pessoas que há longos (demasiadodo longos...), anos, o acompanham mas também se esgotou o seu modo de pensar e executar a gestão Autárquica Concelhia.

Voltarei a abordar este aspecto que considero essencial.

Hoje, conforme o titulo, deste escrito, quero apenas dizer que há uma alternativa para Olhão, que não é baseada em "parquedistas", nem em aventuras supostamente independentes, mas de contornos incertos.

É uma alternativa construída, portanto. consistente..

Alternativa dialogada, logo, democrática. 

Alternativa que assumindo serenamente a mudança, transporta em si, uma nova esperança..

Sim, é possivel, porque existem, em Olhão pessoas, cidadãos, uns mais conhecidos, outros menos, de todos os quadrantes sociais e politicos (e mesmo sem opção partidária), dispostos a dar as mãos, para levar por diante um novo projecto de desenvolvimento para Olhão, assente nos Olhanenses, contando com os Olhanenses e dirigido aos Olhanenses, com uma nova visão e novas idéias e sobretudo com uma outra atitude e uma outra forma de estar na gestão municipal

Envolve gente de Olhão, de Quelfes, de Pechão, de Moncarapacho e da Fuzeta, que sentem a necessidade de mudar.

Vamos continuar a trabalhar, porque sim, é possivel a alternativa em Olhão! 

 

 

José Castanheira


algarvia a 23 de Janeiro de 2009 às 14:32
Esperemos com alguma ansiedade essa alternativa. Precisamos dela para altrear este quadro autárquico, velho, esgotado,incompetente! Apareçam esses amantes da nossa terra. Olhão e os olhanenses merecem.

Mano João a 24 de Janeiro de 2009 às 01:15
É forçoso que soprem ventos de mudança. Concordo quando diz que este modelo de governação autárquica está esgotado. E há muito tempo.
Há-de o amigo reparar que Olhão tem tido ciclos de avanço e ciclos de estagnação. Comparativamente com outras localidades piscatóriias, e reporto-me aos anos 60, Olhão era uma vila parada, com poucos atractivos a não ser o seu belo casario branco. Depois vieram os anos 70 e 80 e Olhão mudou, cresceu, movimentou-se. Desde os anos 90 para cá a cidade tornou a estagnar: o que ganhou em prédios perdeu em comércio e o resto da indústria conserveira que tinha. Neste momento Olhão não dá ares a nada. A zona ribeirinha descaracterizou completamente e a zona nova ( a norte) , de tão nova que é, é como as crianças acabadas de nascer - todas parecidas, quase sem traços distintivos.
É tempo de mudança. É tempo de novas caras com projectos e prioridades autárquicas diferentes. Mas também lhe digo que estas mudanças não se firmam jogando mão de ataques pessoais, de coisas comezinhas alheias ao bem comum. Tem, decididamente de ser um conjunto de pessoas que amam a terra mais do que os partidos.
Vamos lá ver!

Haja saúde
Mano João

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO